A Abordagem Híbrida na Gestão de Projetos e suas vantagens!

O que é uma abordagem híbrida e quais suas vantagens?
Photo credit: pascalbovet.com via Visual Hunt / CC BY-NC-ND

O Gerenciamento Tradicional de projetos prescrito em publicações como o Guia PMBOK® já demonstrou globalmente sua importância e contribuição para a melhoria dos processos de gestão, desde projetos de pequeno porte à projetos com milhares de pessoas envolvidas e orçamentos de grande porte.

Contudo, cada vez mais, a necessidade constante de inovação e agilidade no tempo de resposta das organizações em relação as demandas de mercado, vem contribuindo para o crescimento exponencial das abordagens ágeis de gerenciamento de projetos.

Muito se fala sobre SCRUM, Kanban, Lean, XP (Extreme Programming), FDD (Feature Driven Development) e aquela ideia inicial de 15 anos atrás com a publicação do Manifesto Ágil para melhorar os projetos de desenvolvimento de software, hoje é muito mais ambiciosa e utilizada em vários outros segmentos de projetos de pequeno e grande porte. Caso não conheça muito bem o Kanban dê uma olhada neste post.

A ideia deste post é gerar reflexão!

Como podemos utilizar da melhor forma possível os processos, ferramentas e técnicas das abordagens de gestão de projetos, sejam tradicionais ou ágeis, para garantir cada vez mais um trabalho de melhor qualidade, maior colaboração, melhores resultados e com menos desgaste a todos os envolvidos?

Inicialmente, gostaria de definir o que considero uma abordagem híbrida de gerenciamento de projetos: em minha opinião, a combinação estruturada e complementar das melhores práticas e técnicas para aperfeiçoar o gerenciamento de projetos pode ser considerada uma abordagem híbrida.

“…a combinação estruturada e complementar das melhores práticas e técnicas para aperfeiçoar o gerenciamento de projetos pode ser considerada uma abordagem híbrida.”

Seus benefícios são expressivos: desde a diminuição de esforços empreendidos para realizar tarefas colaborativas efetivas, com a cooperação da equipe e cliente, até a entrega de produtos e serviços com maior valor percebido, isto é, que sejam realmente úteis; em um curto espaço de tempo, tudo isso em função de usarmos o melhor de cada uma das abordagens.

O Guia PMBOK® e a abordagem de Gerenciamento Ágil SCRUM são um exemplo de como podemos combinar Gestão Tradicional e Ágil para obter melhores resultados, e a prova disso é que já podemos encontrar vários artigos e livros que abordam esse tema e incentivam a aplicação prática de Abordagens Híbridas.

Se por um lado nem todos os projetos podem ser gerenciados integralmente através do SCRUM, usar todos os 47 processos do Guia PMBOK® pode inviabilizar a gestão para alguns tipos de projetos. Assim, é importante encontrar um ponto de equilíbrio para identificar em cada uma das abordagens quais são os processos, ferramentas e técnicas que melhor se adaptam a necessidade de projetos de cada organização; e a partir daí sim, criar uma metodologia própria que consiga unir os aspectos positivos de cada teoria de gestão e possa ser aplicada em sua íntegra por todos da organização.

“…criar uma metodologia própria que consiga unir os aspectos positivos de cada teoria de gestão e possa ser aplicada em sua íntegra por todos da organização.”

Não é possível mudar uma cultura organizacional rapidamente e até mesmo em um ambiente ágil é preciso realizar algumas atividades formais, como a documentação formal que inicia um novo projeto para que executivos e a alta administração consigam destacar os objetivos, alinhar a necessidade do projeto à estratégia organizacional e principalmente destacar os benefícios esperados com o produto do projeto. Desta forma, o Termo de Abertura do Projeto (T.A.P.) continuaria a ser um documento de extrema relevância em uma abordagem híbrida.

De outro lado, por exemplo, o processo de Coletar Requisitos, um dos processos do capítulo Gerenciamento do Escopo do Guia PMBOK, poderia ser simplificado com o conceito do Product Backlog do SCRUM para garantir um responsável pela integridade do produto esperado (Product Owner) e definir as funcionalidades essenciais a serem entregues para a organização no curto prazo.

As práticas colaborativas do SCRUM poderiam ajudar muito na identificação, colaboração e comprometimento das partes interessadas, como a equipe, clientes, executivos, fornecedores, etc, ponto muito destacado na 5ª edição do Guia PMBOK que inseriu um capítulo como maneira de destacar a importância das partes interessadas de um projeto.

Reuniões de trabalho mais rápidas e produtivas, com uma frequência mais regular, podem garantir uma maior participação de todos e o uso das reuniões diárias (Daily Scrum Meetings) de 15 minutos em pé pode ajudar a tornar essa ferramenta tão importante, que são as reuniões, em algo realmente produtivo, colaborativo e útil.

Para o monitoramento e controle do projeto, o uso do quadro Kanban e gráficos de controle do SCRUM podem facilitar a tarefa e tornar mais visível a responsabilidade de todos do projeto, permitir uma comunicação mais assertiva, assim como facilitar a identificação de possíveis problemas e gargalos no fluxo de trabalho da equipe.

O que é uma abordagem híbrida e quais suas vantagens?
O que é uma abordagem híbrida e quais suas vantagens?

Agora não podemos esquecer que para gerenciar um grande projeto há a necessidade de um planejamento e controle eficiente do orçamento do projeto, além de um bom plano de gerenciamento de riscos e cálculo de reservas de contingência para compor este orçamento, tornando assim valioso o uso dessas práticas amplamente divulgadas nos capítulos Gerenciamento dos Custos e Gerenciamento dos Riscos do Guia PMBOK® para garantir maior probabilidade de sucesso do projeto.

O que podemos concluir é que além de viável, será cada mais vez necessário unir as boas práticas do Guia PMBOK® ao framework SCRUM, buscando o mesmo e único objetivo de entregar um produto de um projeto atendendo aos requisitos de qualidade, com valor percebido dentro do tempo esperado pelos clientes e executivos da organização.

Fica a recomendação para quem atua exclusivamente com uma dessas abordagens que procure referências e tente aprofundar o conhecimento em relação a outra abordagem para entender o quanto o uso de melhores práticas combinadas, seja do Guia PMBOK® seja do SCRUM podem enriquecer e ajudar a melhorar o gerenciamento de nossos projetos.

E tenham certeza que a cada dia as abordagens híbridas se tornam mais necessárias ao dinamismo de projetos de nosso cenário de negócios atual.

Recomendações:

Autor: Alex Brasil

Alex é o responsável pelo programa de Formação de Gerentes de Projetos e Certificações CAPM® e PMP® da Clarify. Atuou por mais de 20 anos como gerente de projetos no ramo industrial, bancos, farmacêutico, logística e consultorias de automação tecnológica e financeira.E-mail | alex.brasil@clarify.com.br Twitter | AlexBrasilPMP LinkedIn | https://br.linkedin.com/in/alexbrasil/pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code